segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

ANDANDO PARA TRÁS

O título deste post reflete o que acho que acontece com o Avaí, devido a falta de noção da nossa diretoria em lidar com alguns assuntos. Me refiro aqui, em específico, a manutenção de jogadores sem a menor possibilidade de utilizar a camisa do Avaí. Os jogadores que citarei aqui estão comendo e dormindo no Avaí não é de hoje, sai ano, entra ano e esse pessoal continua no Avaí jogando mal, não tendo comprometimento e enlouquecendo a torcida avaiana.


Luiz Carlos Medina (Medina) tem 21 anos e é natural de Jaraguá do Sul, chegou ao Avaí trazido pelo jogador de futsal Falcão e era tido como uma aposta do time avaiano. Lateral veloz, jura de pé junto que é atacante, porém até hoje não recebeu uma chance de jogar no ataque do time.
Medina veio, mostrou que correr ele sabe, mas lhe falta técnica, comprometimento e tempo de bola, ao que eu me lembro só quem gosta do futebol dele é o Miguel Livramento e um torcedor bigodudo do Setor B que vive berrando "Bota o Medina" até quando o Avaí não está jogando.


Rafael Costa dos Santos (Rafa Costa) é natural de São Luis/MA, tem 23 anos e na minha opinião é um dos maiores desperdícios de dinheiro dentro do Avaí.  Foi emprestado para o Itumbiara/GO e para o Mogi Mirim/SP, no entanto sempre retornou para o Avaí, ou seja, não houve interesse nem de times pequenos pelo passe do atleta.
Jogador sem nenhuma habilidade é apontado como sendo o atleta com o empresário mais forte de Santa Catarina, porque nenhum torcedor avaiano consegue entender o que um atleta desse nível (para não dizer sem nível) faz no Avaí.

Gustavo dos Santos (irmão do Marquinhos) é natural de Biguaçu/SC e já joga nesse time Sub-23 tem um bocado de tempo. Desde que me lembro por gente, vejo todo mundo se referindo a ele como o irmão do Marquinhos, e convenhamos, é isso que ele é. Jogador sem muita habilidade parece que não se esforça para sair da sombra do irmão, ídolo da torcida.
Está no Avaí tem tempo, foi trazido pelo irmão, porém não evoluiu, não recebeu propostas de outros times e se não me engano foi emprestado para times pequenos mas nunca vingou. Ninguém me tira da cabeça que há um acordo verbal entre Marquinhos e o Presidente Zunino para manter o rapaz no time, porque se dependesse dele mesmo, com certeza não estaria nem jogando futebol...

Junto a estes três jogadores citados, questiono também a manutenção no time avaiano de jogadores como a promessa (que continuará sendo promessa) Rodrigo Thiesen, que foi trazido pelo Professor Mesquita, teve várias chances e nunca se mostrou um jogador que pudesse ser titular no time do Avaí.

O que ganha o Avaí mantendo no elenco jogadores sem nível técnico como estes? Manter jogador porque o empresário quer, porque o irmão pediu, porque a diretoria tem pena de mandar embora? O Avaí vira casa de amparo a jogadores sem qualidade e quem paga o pato é o sócio...

Fotos: Avaí F.C.

2 avaianos comentaram:

Rodrigo disse...

Cara, uma verdade você falou: Uma das coisas boas de o Medina sair do Avaí é que vai parar com a mania dos chatos que ficam gritando "Bota o medinaaaaaaa!!!" em qualquer jogo que o Avaí esteja empatando, mesmo que o Medina não esteja nem no banco. Quando ele foi para o ASA de arapiraca já pudemos sentir um alívio a esse respeito. Agora que ele voltou, só de saber que ele está no elenco, vai começar a sessão de novo.

Bruno Carvalho - Resistência Avaiana disse...

Rodrigo,

Eu como ex-sócio do Setor B já não guentava mais aquele bigodudo berrando "bota o Medina".

Medina já teve sua cota de Avaí, tá na hora de alguém dentro do Avaí se articular para mandar o jogador embora.

Abs

  ©Resistência Avaiana - Todos os direitos reservados.

Modificado por MTblogger | Template by Dicas Blogger | Topo