terça-feira, 19 de maio de 2009

COMPLEXO DE INFERIORIDADE, SERÁ MESMO?

Acabo de ler no Blog Mundo Avaiano, uma postagem entitulada "Síndrome de Província", onde o autor afirma que nós torcedores AVAIANOS temos um certo complexo de inferioridade, ou falta de orgulho em afirmar que somos AVAIANOS, não entendi bem essa colocação...

O autor da postagem afirma ainda que existem muitos torcedores mistos dentro da torcida avaiana, neste ponto, concordo com o autor, porque se alguém for ao Rio e perguntar para um carioca pra que time ele torce, com certeza ele não dirá Fluminense e Coritiba, isso não existe. Time é que nem casamento, tem que ter um só.

O trecho onde lê-se "É necessário um trabalho urgente de auto-estima, de valorização do que é nosso" foi de doer, acredito então que o autor da postagem JAMAIS passou férias em outro lugar se não aqui na Lagoa do Peri, Lagoinha do Leste ou na praia dos Ingleses pra estar sentando a lenha na nação azzura baseado em meia dúzia de avaianos que viu no Rio comprando a camisa do Flamengo.

Não se pode pegar meia dúzia de torcedores mistos, os quais foram vistos comprando camisas do Flamengo e generalizar uma nação... Os números não mentem, foram 2.500 (ou mais) avaianos no Maracanã neste sábado, essas pessoas gastaram uma grana nessa viagem, alguns pagarão a mesma em até 12x, são apaixonados pelo AVAÍ e não podem ser colocados no mesmo saco de meia dúzia!

O que eu vejo, é que existem os chamados "torcedores de sofá", aqueles que são avaianos, porém não vão ao estádio por pura preguiça, e no meu ponto de vista, desrespeito, para com o time e eles próprios, afinal imagina tu casar e não dar assistência pra tua esposa? Que tipo de relação é essa? Lugar de torcedor é no estádio!

O nobre colega Marcelo H Cardoso (Mundo Avaiano) que me desculpe, mas aqui nessa ilha tem uma nação orgulhosa e aguerrida, que vem crescendo e aprendendo a cada dia, eu não conheço um avaiano que não daira o sangue pelo nosso time. Como já dizia a frase, Se o AVAÍ for jogar no inferno, morro para vê-lo jogar!

AVAÍ FUTEBOL CLUBE ATÉ OS ÚLTIMOS DIAS DA MINHA VIDA!

AVAÍ, PIRÃO D´AGUA E PEIXE FRITO!

6 avaianos comentaram:

Marcelo H. Cardoso disse...

Meu querido,

em nenhum momento eu depreciei o verdadeiro torcedor avaiano. Por favor, leia novamente o meu texto e reflita melhor. Eu reclamei dos casos que vi, mas enalteci a torcida avaiana como um todo.

Só um trechinho do que escrevi, para te poupar o trabalho de reler tudo:

"Claro, esses panacas eram minoria. A verdadeira torcida azul fez seu papel e representou bem o Avaí e Santa Catarina."

E, se tiveres o trabalho de ler a postagem anterior ("Que torcida é essa?") irás perceber que eu tenho a torcida avaiana em altíssimo grau.

Em tempo: já passei algumas férias fora da Lagoa do Peri ou Praia dos Ingleses. Tive a felicidade de saber que o Avaí tinha sido campeão da Série C quando estava de férias em Lisboa. Saí pelas ruas da capital portuguesa com minha camisa de mangas compridas e patrocínio da Portobello, agitando uma bandeira e gritando "Avaí! Coisa linda!". Os portugueses não entendiam nada...

Penso que pontos de vista podem ser diferentes, desde que mantido o respeito. Opinião deve ser respeitada, mas antes disso entendida. Ninguém gosta de ser "acusado" de dizer o que não disse (ou escreveu).

Um abraço.
Ah! Agora que vi que, por distração, o "Resistência Avaiana" não estava na minha lista de blogs sugeridos. Estou linkando lá agora mesmo!

Resistência Avaiana disse...

Eu adoro a liberdade de expressão e o direito de resposta que a Constituição Federal garante a nós brasileiros!

"Nesse final de semana no Rio, PUDE CONFIRMAR por várias vezes essa "SÍNDROME DE PROVÍNCIA", que NOS FAZ PENSAR QUE SOMOS MENORES e subordinados aos grande centros do país e, por consequência, aos clubes que os representam."

Bem, não fui ao Rio,porém em momento algum eu CONFIRMEI síndrome nenhuma na torcida do AVAÍ, e se há, deve ser a SÍNDROME DA PERSISTÊNCIA, pois me recordo bem dos jogos na Copa SC, onde éramos apenas 17 avaianos na Ressacada em plena tarde de sol de uma quinta-feira (se não me engnao).

Somos persistentes, apaixonados, aguerridos, posso até não ter compreendido o texto do blog sou avaiano (que é muito bem escrito diga-se de passagem), porém jamais me calarei ante qualquer ataque (mesmo que fogo amigo) direcionado a essa nação que tanto fez (e faz) pelo AVAÍ.

Tendo os dois pontos de vista esclarecidos, deixo aqui registrado meu abraço ao nobre colega Marcelo.

Resistência Avaiana

Marcelo H. Cardoso disse...

Valeu, amigo. É assim que vamos crescer juntos. A discussão saudável e de alto nível é sempre um bom caminho para todos melhorarmos.

Abração!

Gerson Santos disse...

Resitência, não é isso que o texto diz. Leia-o atentamente e verás que é UM GRITO DE AMOR ao Avaí. Particularmente, li o texto e me arrepiei.

Venho chamando a atenção dos avaianos para o fortalecimento de nossa AVAIANIDADE, pois sem uma identidade definida nada conquistaremos de verdade. Seremos uma eterna montanha-russa esportiva. Depois fiquei frustrado por não ter sido eu o seu autor. O Marcelo fica sempre ferrando os posts que penso em fazer, aquele ixtepô.

O mais legal é esse debate que você incrementou. É por aí mesmo. Parabéns Resistência.

Cleber disse...

Concordo com o Gerson sobre o comentario do Marcelo.
acho que vc interpretou muito mal o texto dele, e é inegável que ainda existem mistos, é obvio que nem se compara a tempos do inicio da decada de 90, obvio que o AMOR pelo AVAÍ vem crescendo cada vez mais, para mim que com 14 anos invadi o campo com a conquista de 97 se emocionar com a garotada de 14, 16 anos que nem tinham noção da emoção que foi 97 ser loucos pelo Avaí.
Besteira o que falou sobre torcedor é o que vai no estádio, quer dizer q eu que moro em santos não posso ser Avaiano, ou não sou considerado Avaiano?? veja todo o meu material de Avaí, pergunte a alguma pessoa que tenha conversado comigo em mais de um ano aqui o q é o Avaí.
A revolução está acontecendo, estamos perdendo os mistos, virar as costas e falar q não existem ou não são Avaianos não adianta. Isso precisa acontecer junto com a nova "guerra do contestado" da era da informação, contra a mídia que ainda persiste em nos colonizar com a cultura da sua terra.

abraço

Felipe disse...

Essa é um discussão looonga e muito dificil! Será que um misto não tem tanta "avaianidade"? Eu não tenho a resposta, mas acho muito difícil ignorarmos nossa história...assim como muitas vezes "herdamos" o Avaí de nossos pais, herdamos também um "segundo (ou até terceiro) time...

Parabéns pelo blog!

Felipe (VidAvai)

  ©Resistência Avaiana - Todos os direitos reservados.

Modificado por MTblogger | Template by Dicas Blogger | Topo